Categoria: PRIMAVERA

01 Out 2020
Vendas multicanal: o presente e o futuro do comércio eletrónico 1

Vendas multicanal: o presente e o futuro do comércio eletrónico

A verdade é que ter uma loja física não significa ter de abdicar desse canal para apostar nos canais online. O objetivo é simples: multiplicar as oportunidades de vendas, oferecendo outras possibilidades para o cliente conhecer e comprar os produtos das marcas. É a possibilidade de colocar a marca junto de uma grande audiência que faz com que os canais online ganhem cada vez mais relevância.

O segredo está na essência multicanal das marcas:

  • A conveniência para o cliente poder comprar a partir de casa com o simples acesso à internet;
  • A possibilidade de comprar através de vários dispositivos móveis;
  • A facilidade de encontrar uma maior variedade de produtos que, muitas vezes, não estão disponíveis nas lojas físicas;

 

Como aproveitar cada canal de venda?

O investimento em vários pontos de contacto com os consumidores é a chave para escalar os resultados de negócio. Com base nesta lógica, as marcas passaram a considerar inúmeros canais de vendas: desde redes sociais ou blogs, até às plataformas de venda online, marketplaces e lojas online da marca. Mas quais são os canais de vendas que acrescentam maior valor a uma estratégia multicanal e como podem ser aproveitados?

Loja física

Desengane-se quem acha que o comércio físico perdeu a relevância. A verdade é que a grande maioria dos negócios físicos sofreu os efeitos da paralisação da economia, fruto do impacto negativo da pandemia da COVID-19, mas as lojas físicas são, ainda, um grande motor do comércio, apesar da necessidade de reestruturação dos modelos de negócio, numa clara adaptação ao digital. É incontestável que o comércio físico continua relevante para quem investe, simultaneamente, no digital. A experiência de compra é o principal aspeto a ter em conta em qualquer modelo de negócio: na loja física há pequenos pormenores que fazem a diferença, como por exemplo a temperatura, a luz, as sensações olfativas ou possibilidade de experimentar, características que o digital ainda não consegue oferecer.

Loja online

Lembre-se de que o principal objetivo de escalar o negócio é tornar os seus produtos mais visíveis e aumentar a rentabilidade, mas para tal é fundamental proporcionar a melhor experiência ao consumidor. Todos os aspetos físicos mencionados acima são substituídos, no online, pela boa usabilidade e organização de conteúdos, rapidez de entrega, política de devolução e experiência de checkout. Comprar em casa, no conforto do sofá, aceder em qualquer dispositivo móvel, a qualquer hora, a uma grande variedade de opções é a grande vantagem do online. Neste canal de vendas, importa ter em consideração o cuidado com a imagem, o tom de comunicação e a política comercial. São estes os aspetos de diferenciação numa estratégia multicanal.

Redes sociais

Não se trata apenas de mais um canal de vendas. As redes sociais são importantes canais de interação entre os consumidores e as marcas. A presença das marcas nas redes sociais é obrigatória: além de atraírem uma grande audiência, simplificam a forma de partilha e consumo através do online. Se por um lado representam uma oportunidade de baixo custo para dinamizar o conteúdo da marca, por outro, são, no fundo, uma forma de criar e partilhar conteúdo relevante para um público mais alargado, permitindo a interação, em tempo real, com potenciais clientes.

Marketplace

Se por um lado a loja online oferece à marca a liberdade de controlar todos os aspetos de vendas – desde os preços, a imagem da marca, as ofertas, a gestão de pedidos, o stock, a faturação ou a usabilidade do site –, o marketplace oferece maior visibilidade e poder de atração, colocando a marca disponível para uma grande audiência.  Por funcionar como um enorme shopping online, as vantagens do Marketplace vão desde o fácil acesso a milhares de clientes, e sem os custos iniciais de lançamento de uma loja online própria, até à vantagem de não existir a necessidade de conhecimentos técnicos.

Implementar uma estratégia multicanal: qual o segredo?

  1. Definir canais de venda: Já vimos que existem várias opções e o melhor é fazer um mix de todas, assim terá mais possibilidades de aumentar as vendas.
  2. Analisar o comportamento de compra em todos os canais: para saber quais os melhores canais e aprimorar os resultados das vendas, é importante conhecer o comportamento dos consumidores – onde compra, como compra, a que horas compra e, claro, o que compra. Essa informação irá dar-lhe os inputs necessários para reforçar as suas vendas.
  3. Definir objetivos: antes de avançar com a implementação de uma estratégia multicanal, defina os objetivos e analise, exaustivamente, as várias soluções possíveis, além dos custos operacionais em cada canal.
  4. Consistência: independentemente do canal, oferecer uma experiência consistente em cada ponto de contacto aumenta a fidelização dos clientes.
  5. Garanta uma gestão integrada: a integração é vital para a implementação de uma estratégia multicanal escalável, flexível e compatível com as exigências dos consumidores. Hoje, os clientes esperam:
    1. Comprar online;
    2. Receber os produtos em casa;
    3. Devolver na loja;
    4. Comparar preços;
    5. Pesquisar na loja online qual a loja física com stock disponível.

 

A resposta a estas exigências está numa gestão integrada de todos os canais de venda. E já existem soluções para isso! As soluções PRIMAVERA da PONTUAL já garantem esta agilidade e eficiência de que os negócios precisam na era digital. Analise a sua estratégia comercial e confirme se já está a aproveitar esta grande tendência do e-commerce.

25 Mai 2020
Comércio: O regresso depois do confinamento 2

Comércio: O regresso depois do confinamento

Se a Covid-19 veio trazer vários obstáculos e dificuldades ao setor do comércio, a verdade é que acelerou certas inovações que já se afirmavam como tendências para o futuro e obrigou os gerentes e proprietários dos negócios a reinventarem-se para fazer face às dificuldades. Numa altura em que começamos a regressar à normalidade, apresentamos algumas tendências que poderão marcar este período pós-Covid:

1. Economia da experiência virtual – Embora a realidade virtual seja já uma tendência crescente no setor do comércio, este período de ausência das lojas físicas fez crescer a necessidade de teste e experimentação dos produtos virtualmente.

2. Compras por streaming – Se a venda através de diretos nas redes sociais já era uma realidade nos últimos meses, este conceito, aliado ao comércio eletrónico, deverá apresentar um crescimento nos próximos tempos, permitindo às pessoas conhecer em tempo real os produtos, podendo interagir de forma a esclarecer dúvidas ou conhecer com mais detalhe alguns pormenores.

3. Companhias virtuais – Na ausência de um assistente de loja pronto a dar uma opinião ou esclarecer as dúvidas, no futuro espera-se o crescimento dos chatbots e dos assistentes virtuais de forma a tornar a experiência de compra mais personalizada e completa.

4. Ambient welness – Os últimos tempos têm chamado a atenção das pessoas para o cuidado com a higiene pessoal, a saúde e alguns hábitos do dia a dia que podem penalizar o bem-estar. Assim, este poderá ser um ponto importante para alguns comerciantes se destacarem, oferecendo uma atenção redobrada nestes pontos mesmo depois da pandemia.

5. A-commerce – A inteligência artificial e a robótica vão começar a entrar cada vez mais no setor do comércio, permitindo uma experiência mais automatizada e que irá diminuir o contacto, o que poderá ser útil em certas condições e negócios.

01 Out 2020
Como melhorar a performance da produção através de relatórios de gestão? 3

Como melhorar a performance da produção através de relatórios de gestão?

Como obter melhores resultados na gestão de produção?

Para tal, e como resposta às exigências de um setor caracterizado pela sua dinâmica, a eficiência, rapidez e rigor são o segredo para a otimização de processos. E conseguir essa melhoria assenta, essencialmente, na adaptação digital. Quando bem implementada, a análise de dados conduz a inúmeros benefícios para o negócio. Entre os quais, destacam-se:

 

1. Constante monitorização dos resultados

  • Graças às maravilhas da tecnologia, hoje é possível aceder a informação compilada sobre o estado do negócio, tal como controlar as quantidades de stock, quantidades fabricadas ou custos de produção. Com esta informação, a melhoria de resultados é simples. Este fluxo de informação permite aos gestores de produção monitorizar os níveis de produção e performance, impulsionando a tomada de decisão fundamentada com dados fidedignos.

 

2. Rapidez de reporting

  • Todo o processo de reporting é simplificado com o acesso simples e rápido a informações relevantes. A análise de dados representa, hoje, um papel fundamental na promoção de uma utilização mais eficiente dos recursos, eliminando erros e falhas e melhorando os prazos de produção.

 

3. Identificação imediata de falhas

  • A utilização das análises de dados ajuda na prevenção de falhas ou avarias, resultando na minimização de paragens indesejadas na produção, aumentando a produtividade e reduzindo custos. Como consequência, os custos operacionais ou mesmo as perdas de produção são significativamente reduzidos.

 

4. Foco na satisfação dos clientes

  • É possível utilizar a informação produzida pelas análises de gestão para prever a procura, ajustar a produção e assegurar níveis de stock ideais para satisfazer todas as encomendas, sem atrasos para os clientes.

 

Melhorar processos e, consequentemente, produtos e serviços, só é possível através da análise de resultados sobre todas as variantes do processo de produção. Mas, como vimos, hoje um gestor não pode perder tempo a procurar informação dispersa e de difícil interpretação.

O sistema de reporting PRIMAVERA XLS Manufacturing permite às organizações do setor industrial acompanhar toda a evolução da produção, analisando as quantidades fabricadas, a resposta a encomendas, se os custos reais estão em conformidade com os previstos, calculando, ainda, os custos por encomenda, de matéria-prima, mão de obra ou custo de máquina. Tudo isto numa solução que funciona a partir de uma folha de cálculo Excel, na qual já estão disponíveis dezenas de fórmulas pré-configuradas, para que os relatórios de gestão estejam apenas à distância de um clique. Apesar de dezenas de relatórios estarem incluídos de raiz na solução, é possível, ainda, cada gestor introduzir novas fórmulas de acordo com as suas exigências e obter relatórios adequados às suas necessidades de análise.

Esta tecnologia permite aumentar a produtividade, reduzir custos operacionais, atingir níveis elevados de eficiência e posiciona o gestor de produção como um verdadeiro gestor comprometido com a rentabilidade e o performance global da organização.

25 Mai 2020
Fábricas inteligentes, fábricas resilientes 4

Fábricas inteligentes, fábricas resilientes

O processo de transição para uma fábrica inteligente não é algo que acontece da noite para o dia. Antes de mais, é fundamental traçar uma estratégia abrangente, que envolva toda a organização, e na qual a gestão de topo desempenhe um papel decisivo. Para além do envolvimento de todos, e em particular da gestão de topo, a estratégia de transição para uma fábrica inteligente deve assentar em três pilares estruturais: Produto, Processo e Modelo de Negócio:

  • No que respeita ao produto, o objetivo é desenvolver produtos inteligentes, como é o caso, por exemplo, da incorporação da eletrónica e componentes digitais nos automóveis ou nos têxteis inteligentes. Através da tecnologia, é possível oferecer ao mercado produtos de maior valor acrescentado.

 

  • Ao nível do processo, essa transição acontece pondo os produtos a “comunicar” com as máquinas e estas a comunicarem umas com as outras através da automatização e robotização, promovendo a interconexão digital de toda a cadeia de abastecimento. É importante reforçar que a transformação digital aplicada aos processos implica a incorporação de tecnologias de informação, de forma a tornar esses processos mais flexíveis e eficientes.

 

  • Por fim, na vertente do modelo de negócio, essa passagem para uma fábrica inteligente acontece alterando a forma como se põe à disposição do cliente o produto, complementando a oferta com serviços de maior valor acrescentado.

 

Longe de ser um “estado final”, a fábrica inteligente é uma solução em evolução – que se materializa em várias vertentes como agilidade, conexão e transparência. E não tenhamos dúvidas que as empresas mais bem preparadas para sobreviver e prosperar no futuro são aquelas que já iniciaram este caminho, dando passos consistentes, um atrás do outro, rumo à fábrica inteligente. Esta é naturalmente uma estrutura mais preparada para reagir rapidamente às adversidades e adaptar-se facilmente a novas realidades.

01 Out 2020
O futuro do contabilista 5

O futuro do contabilista

O panorama da contabilidade está a mudar de forma muito rápida e os contabilistas têm de aproveitar as grandes oportunidades tecnológicas como, por exemplo, a digitalização fiscal e a automação. Assim, tendo por base o conhecimento da atualidade do mundo da contabilidade, urge construir o futuro, lançando à discussão quatro pontos de partida.

Perder menos tempo com tarefas manuais

O primeiro ponto que importa referir, tem a ver com a necessidade se perder menos tempo com tarefas manuais. Não quer dizer que algumas não perdurem no tempo. Mas o que já é uma realidade para uns é futuro para outros, o uso de mecanismos de automação em tarefas rotineiras, de alto consumo de tempo e baixo proveito, podem já ser executadas por ferramentas disponíveis no mercado, permitindo aos contabilistas divergir para outras tarefas mais valorizadas.

Redirecionar o foco do trabalho contabilístico

O segundo ponto prende-se com a necessidade imperativa de os contabilistas direcionarem o foco do seu trabalho para o aconselhamento aos clientes. Cada vez mais, o contabilista face às suas competências únicas no mercado, deve ser visto pelos restantes stakeholders como parte importante da atividade económica, social e legal da empresa ou das empresas que estão sob a sua responsabilidade. O contabilista do futuro, que já é presente, é responsável pelas contas na sua plenitude, desde a preparação, passando pela execução, até à sustentação.

Mais trabalho remoto

O terceiro ponto, que cada vez mais deixa de estar num futuro para se situar definitivamente no presente, é o trabalho remoto. Aqui, temos duas tendências. O trabalho remoto efetuado pelos colaboradores do escritório de contabilidade que eleva, muitas vezes, a moral e o bem-estar entre colaboradores e entre estes e as empresas. Já existem até vários estudos sobre o aumento de produtividade nos casos em que o colaborador acaba por se focar mais nas tarefas, ao contrário do que acontece quando se trabalha em escritórios grandes e com disposição de open-space.

Mas, também, na relação entre o contabilista e o seu cliente, em que muitos contactos, muitas reuniões, podem ser efetuadas remotamente, utilizando ferramentas tecnológicas que, pelo seu uso fácil, permitem uma proximidade entre as pessoas nunca antes vista.

Aumentar o leque de competências

Por fim, o quarto ponto, e em linha com tudo o referido anteriormente, nomeadamente ter mais tempo dedicado a tarefas não manuais, foco no aconselhamento aos clientes e trabalho remoto, só será possível com formação. O contabilista tem de aumentar o seu leque de competências para ir de encontro às necessidades do mercado, dos clientes e até dos colaboradores e, para isso, deve estar constantemente disponível para o conhecimento e para a prática de novas experiências. Este ponto é um futuro para alguns, mas trata-se de um ponto presente para outros, que reflete uma posição de verdadeiro contabilista que corre ao lado dos seus clientes, respeita todos os concorrentes e entidades, sem nunca perder o rumo.

Para o contabilista, o desafio é adequar os seus processos com base em tecnologia, para beneficiar da inevitável procura por contabilistas especialistas que possam ajudar as empresas suas clientes a navegar neste mundo em constante mudança.

06 Mar 2020
O que pode fazer com a informação armazenada no seu ERP? 6

O que pode fazer com a informação armazenada no seu ERP?

Nos dias de hoje, o volume de dados produzidos e armazenados nos sistemas de gestão é imenso. É por isso fundamental, saber como os tratar e analisar, de forma a transformá-los em informação de gestão para a tomada de decisão.

 

Na PONTUAL, o nosso foco é contribuir para a criação de valor do seu negócio e por isso, desenvolvemos o BIA – Business Information Analyser. Este Add-On assenta sobre o seu ERP PRIMAVERA e disponibiliza um conjunto de dashboards de gestão, com recurso ao Microsoft Power BI, que podem ser acedidos via browser, a partir de qualquer lugar ou dispositivo.

25 Mai 2020
Como ter uma manutenção preditiva na era 4.0? 7

Como ter uma manutenção preditiva na era 4.0?

As paragens não planeadas nos equipamentos industriais podem causar altos custos para a organização, além da perda de rendimento da linha de produção. Por isso, é importante para as empresas que o plano de manutenção esteja o mais otimizado possível para reduzir este tipo de riscos e perdas. No que se refere ao processo de manutenção de máquinas, este pode ser realizado baseando-se:

  • Na falha propriamente dita (manutenção corretiva);
  • Num tempo pré-estimado para a troca (manutenção preventiva)
  • Na pré-deteção de uma falha iminente (manutenção preditiva).

 

Com a Indústria 4.0 e com o uso de novas tecnologias, a minimização dos problemas é agora muito mais fácil. Com a utilização de sensores, do IIoT (Industrial IoT), de sistemas integrados e inteligentes, do Big Data e da inteligência artificial, é possível identificar, de forma mais célere, onde os problemas estão a ocorrer, que máquinas estão a afetar, quais as implicações dos problemas nas linhas de produção (manutenção corretiva) e qual o melhor plano de manutenção para minimizar a possibilidade de falhas (manutenção preventiva).

25 Mai 2020
Qual a importância que a tecnologia tem na gestão de Recursos Humanos? 8

Qual a importância que a tecnologia tem na gestão de Recursos Humanos?

Soluções como o ERP PRIMAVERA, permitem ao Gestor de RH dispensar o tempo consumido com tarefas administrativas e focar-se na Gestão Estratégica.

Os processos relacionados como a gestão contratual, gestão de descontos e remunerações, processamentos salariais e outros, passam a ser executados automaticamente por sistemas de gestão como este e, a mobilidade e a corresponsabilização dos colaboradores são promovidas por plataformas acessíveis através do smartphone, como o OMNIA Employee.

06 Mar 2020
Manufacturing v10 – A indústria 4.0 no seu ERP 9

Manufacturing v10 – A indústria 4.0 no seu ERP

Está preparado para abraçar a transformação digital da sua indústria?

 

É complexo articular todas as peças da gestão de uma empresa do setor industrial. São imensas, mas todas indispensáveis, independentemente da dimensão da empresa. Focar-se na qualidade da produção, descurando a vertente administrativa e financeira, pode ser ruinoso. Concentrar-se na gestão logística, relegando a manutenção para segundo plano, não tem futuro. Só uma gestão sólida e integrada de todas as áreas funcionais, interligando máquinas, pessoas e processos, lhe garante controlo e rentabilidade. Descubra na solução PRIMAVERA Manufacturing v10 a tecnologia que impulsiona os resultados das empresas do setor industrial.

06 Mar 2020
PRIMAVERA v10 – inteligência artificial ao serviço da gestão 10

PRIMAVERA v10 – inteligência artificial ao serviço da gestão

A sua versão do ERP PRIMAVERA já está preparada com monitores intuitivos de controlo dos estados do seu stock, permitindo gerir receções de mercadoria e afetar imediatamente reservas em função das encomendas dos seus clientes?

 

A nova v10 do ERP PRIMAVERA está a mudar a forma como as organizações gerem os seus processos logísticos. Todo um novo paradigma de controlo de estados de stock, permite gerir de una forma intuitiva e com recurso a monitores as quantidades em receção e expedição, sejam elas provenientes de compras ou processos de venda, provenientes de transferências ou mesmo de devoluções de clientes e fornecedores. Conheça as soluções de gestão logística da Pontual assentes na v10 do ERP PRIMAVERA e veja de que forma poderá dar uma nova dinâmica à sua empresa.