Categoria: PRIMAVERA

25 Mai 2020
Comércio: O regresso depois do confinamento 1

Comércio: O regresso depois do confinamento

Se a Covid-19 veio trazer vários obstáculos e dificuldades ao setor do comércio, a verdade é que acelerou certas inovações que já se afirmavam como tendências para o futuro e obrigou os gerentes e proprietários dos negócios a reinventarem-se para fazer face às dificuldades. Numa altura em que começamos a regressar à normalidade, apresentamos algumas tendências que poderão marcar este período pós-Covid:

1. Economia da experiência virtual – Embora a realidade virtual seja já uma tendência crescente no setor do comércio, este período de ausência das lojas físicas fez crescer a necessidade de teste e experimentação dos produtos virtualmente.

2. Compras por streaming – Se a venda através de diretos nas redes sociais já era uma realidade nos últimos meses, este conceito, aliado ao comércio eletrónico, deverá apresentar um crescimento nos próximos tempos, permitindo às pessoas conhecer em tempo real os produtos, podendo interagir de forma a esclarecer dúvidas ou conhecer com mais detalhe alguns pormenores.

3. Companhias virtuais – Na ausência de um assistente de loja pronto a dar uma opinião ou esclarecer as dúvidas, no futuro espera-se o crescimento dos chatbots e dos assistentes virtuais de forma a tornar a experiência de compra mais personalizada e completa.

4. Ambient welness – Os últimos tempos têm chamado a atenção das pessoas para o cuidado com a higiene pessoal, a saúde e alguns hábitos do dia a dia que podem penalizar o bem-estar. Assim, este poderá ser um ponto importante para alguns comerciantes se destacarem, oferecendo uma atenção redobrada nestes pontos mesmo depois da pandemia.

5. A-commerce – A inteligência artificial e a robótica vão começar a entrar cada vez mais no setor do comércio, permitindo uma experiência mais automatizada e que irá diminuir o contacto, o que poderá ser útil em certas condições e negócios.

25 Mai 2020
Fábricas inteligentes, fábricas resilientes 2

Fábricas inteligentes, fábricas resilientes

O processo de transição para uma fábrica inteligente não é algo que acontece da noite para o dia. Antes de mais, é fundamental traçar uma estratégia abrangente, que envolva toda a organização, e na qual a gestão de topo desempenhe um papel decisivo. Para além do envolvimento de todos, e em particular da gestão de topo, a estratégia de transição para uma fábrica inteligente deve assentar em três pilares estruturais: Produto, Processo e Modelo de Negócio:

  • No que respeita ao produto, o objetivo é desenvolver produtos inteligentes, como é o caso, por exemplo, da incorporação da eletrónica e componentes digitais nos automóveis ou nos têxteis inteligentes. Através da tecnologia, é possível oferecer ao mercado produtos de maior valor acrescentado.

 

  • Ao nível do processo, essa transição acontece pondo os produtos a “comunicar” com as máquinas e estas a comunicarem umas com as outras através da automatização e robotização, promovendo a interconexão digital de toda a cadeia de abastecimento. É importante reforçar que a transformação digital aplicada aos processos implica a incorporação de tecnologias de informação, de forma a tornar esses processos mais flexíveis e eficientes.

 

  • Por fim, na vertente do modelo de negócio, essa passagem para uma fábrica inteligente acontece alterando a forma como se põe à disposição do cliente o produto, complementando a oferta com serviços de maior valor acrescentado.

 

Longe de ser um “estado final”, a fábrica inteligente é uma solução em evolução – que se materializa em várias vertentes como agilidade, conexão e transparência. E não tenhamos dúvidas que as empresas mais bem preparadas para sobreviver e prosperar no futuro são aquelas que já iniciaram este caminho, dando passos consistentes, um atrás do outro, rumo à fábrica inteligente. Esta é naturalmente uma estrutura mais preparada para reagir rapidamente às adversidades e adaptar-se facilmente a novas realidades.

06 Mar 2020
O que pode fazer com a informação armazenada no seu ERP? 3

O que pode fazer com a informação armazenada no seu ERP?

Nos dias de hoje, o volume de dados produzidos e armazenados nos sistemas de gestão é imenso. É por isso fundamental, saber como os tratar e analisar, de forma a transformá-los em informação de gestão para a tomada de decisão.

 

Na PONTUAL, o nosso foco é contribuir para a criação de valor do seu negócio e por isso, desenvolvemos o BIA – Business Information Analyser. Este Add-On assenta sobre o seu ERP PRIMAVERA e disponibiliza um conjunto de dashboards de gestão, com recurso ao Microsoft Power BI, que podem ser acedidos via browser, a partir de qualquer lugar ou dispositivo.

25 Mai 2020
Como ter uma manutenção preditiva na era 4.0? 4

Como ter uma manutenção preditiva na era 4.0?

As paragens não planeadas nos equipamentos industriais podem causar altos custos para a organização, além da perda de rendimento da linha de produção. Por isso, é importante para as empresas que o plano de manutenção esteja o mais otimizado possível para reduzir este tipo de riscos e perdas. No que se refere ao processo de manutenção de máquinas, este pode ser realizado baseando-se:

  • Na falha propriamente dita (manutenção corretiva);
  • Num tempo pré-estimado para a troca (manutenção preventiva)
  • Na pré-deteção de uma falha iminente (manutenção preditiva).

 

Com a Indústria 4.0 e com o uso de novas tecnologias, a minimização dos problemas é agora muito mais fácil. Com a utilização de sensores, do IIoT (Industrial IoT), de sistemas integrados e inteligentes, do Big Data e da inteligência artificial, é possível identificar, de forma mais célere, onde os problemas estão a ocorrer, que máquinas estão a afetar, quais as implicações dos problemas nas linhas de produção (manutenção corretiva) e qual o melhor plano de manutenção para minimizar a possibilidade de falhas (manutenção preventiva).

25 Mai 2020
Qual a importância que a tecnologia tem na gestão de Recursos Humanos? 5

Qual a importância que a tecnologia tem na gestão de Recursos Humanos?

Soluções como o ERP PRIMAVERA, permitem ao Gestor de RH dispensar o tempo consumido com tarefas administrativas e focar-se na Gestão Estratégica.

Os processos relacionados como a gestão contratual, gestão de descontos e remunerações, processamentos salariais e outros, passam a ser executados automaticamente por sistemas de gestão como este e, a mobilidade e a corresponsabilização dos colaboradores são promovidas por plataformas acessíveis através do smartphone, como o OMNIA Employee.

06 Mar 2020
Manufacturing v10 – A indústria 4.0 no seu ERP 6

Manufacturing v10 – A indústria 4.0 no seu ERP

Está preparado para abraçar a transformação digital da sua indústria?

 

É complexo articular todas as peças da gestão de uma empresa do setor industrial. São imensas, mas todas indispensáveis, independentemente da dimensão da empresa. Focar-se na qualidade da produção, descurando a vertente administrativa e financeira, pode ser ruinoso. Concentrar-se na gestão logística, relegando a manutenção para segundo plano, não tem futuro. Só uma gestão sólida e integrada de todas as áreas funcionais, interligando máquinas, pessoas e processos, lhe garante controlo e rentabilidade. Descubra na solução PRIMAVERA Manufacturing v10 a tecnologia que impulsiona os resultados das empresas do setor industrial.

06 Mar 2020
PRIMAVERA v10 – inteligência artificial ao serviço da gestão 7

PRIMAVERA v10 – inteligência artificial ao serviço da gestão

A sua versão do ERP PRIMAVERA já está preparada com monitores intuitivos de controlo dos estados do seu stock, permitindo gerir receções de mercadoria e afetar imediatamente reservas em função das encomendas dos seus clientes?

 

A nova v10 do ERP PRIMAVERA está a mudar a forma como as organizações gerem os seus processos logísticos. Todo um novo paradigma de controlo de estados de stock, permite gerir de una forma intuitiva e com recurso a monitores as quantidades em receção e expedição, sejam elas provenientes de compras ou processos de venda, provenientes de transferências ou mesmo de devoluções de clientes e fornecedores. Conheça as soluções de gestão logística da Pontual assentes na v10 do ERP PRIMAVERA e veja de que forma poderá dar uma nova dinâmica à sua empresa.

06 Mar 2020
Agilidade nos Escritórios de Contabilidade 8

Agilidade nos Escritórios de Contabilidade

Na Era Digital, a agilidade organizacional não é uma opção, mas sim uma necessidade transversal a todos os tipos de organizações que queiram estar em condições de competir e prosperar nos seus mercados de atuação. Entre outros, os Escritórios de Contabilidade são um dos setores de atividade com mais desafios pela frente.

Segundo o World Economic Forum, prevê-se que até 2022, as profissões de contabilista, auditores, analistas financeiros e administrativos de recursos humanos sejam redundantes uma vez que poderão ser automatizadas. Os Escritórios de Contabilidade deverão ser capazes de adotar modelos de gestão ágeis, que lhes permita repensar e redesenhar, de forma rápida e eficiente, estratégias, estruturas e processos, bem como preparar as pessoas de modo a dar resposta às mudanças do mercado e avanços tecnológicos ou mesmo antecipar-se a elas de forma produtiva, económica e sem comprometer a qualidade, tendo em vista a criação e capitalização de novas oportunidades e proteção de valor.

 

Não é possível repensar um modelo organizacional sem considerar todas as tecnologias digitais subjacentes. Os Escritórios de Contabilidade não as podem encarar apenas como um recurso de suporte às operações; elas devem ser consideradas como um elemento fundamental para garantir a flexibilidade e a velocidade de resposta às mudanças das necessidades das partes interessadas.

Automatização de tarefas e processos rotineiros, gestão de fluxos de trabalho e disponibilização da informação, em tempo real e em qualquer lugar, são alguns exemplos de como a tecnologia pode auxiliar os Escritórios de Contabilidade a ganhar uma vantagem competitiva no mercado.

06 Mar 2020
Procurement, um papel de relevo na gestão logística 9

Procurement, um papel de relevo na gestão logística

Uma das melhores formas de gerir o Procurement é através de sistemas especializados para o efeito. Existem ferramentas bastante completas que podem ser um bom complemento nas diferentes etapas da gestão de fornecedores, entre elas: a colaboração entre os fornecedores, a análise de gastos, o E-Sourcing, o Contract Lifecycle Management (CLM) ou a gestão de abastecimento. Com a utilização de Warehouse Management Solutions, é possível:

 

  • Otimizar custos – Perceber os porquês dos custos e encontrar soluções de poupança através de análises de redução de custos ou identificando outras oportunidades de negócio menos dispendiosas.
  • Análise de dados- O sistema assegura o acesso a toda a informação, de forma segura e robusta, permitindo-lhe perceber melhor como, quando e em que situação está a gastar. Isto, numa segunda fase, possibilita a execução de ajustes que atuam no aumento da rentabilidade.
  • Melhoria de rentabilidade – Permite uma tomada de decisões mais estratégica, e um acompanhamento mais próximo do processo, permitindo enviar relatórios consoante as contribuições para cada organização.
  • Integração de vários sistemas – Integra-se facilmente nos sistemas já existentes e tem um rápido retorno do investimento, de modo a permitir compensar os gastos.

 

Todo este processo de Procurement, em cadeia, permite rentabilizar o processo de compra. Com a redução de custos, as empresas podem investir em melhorias, como é o caso do atendimento ao cliente e o aumento da satisfação dos consumidores.

06 Mar 2020
Transformação Digital na área da Manutenção 10

Transformação Digital na área da Manutenção

Naturalmente, cada empresa possui os seus próprios requisitos no que toca a este assunto. O objetivo tanto pode ser substituir o uso de papel e do Excel por um software para reduzir os custos de manutenção, como para facilitar o acesso à informação. A grande vantagem é que, independentemente do motivo, o ADN da transformação digital será sempre o mesmo: informatizar e otimizar o clico de manutenção da empresa.

 

Esta mudança tecnológica pode contribuir de forma significativa para o sucesso da organização e tornar as operações mais eficientes e as equipas mais produtivas. Ao implementar uma solução digital para gerir os processos de manutenção, está automaticamente a maximizar os recursos e a reduzir os custos da empresa. Segundo vários estudos de especialistas da área, o software de manutenção consegue reduzir em 70% os custos relacionados com a formação de novos colaboradores, numa indústria em que a taxa média de rotatividade é de 22%. Por outro lado, as empresas conseguem economizar mais de 50.000€/ano pelo facto de eliminar a necessidade de criar, armazenar e procurar os documentos em papel.

 

Chegou a hora de aderir à transformação digital! Conheça o software de manutenção Valuekeep e descubra como resolver as dores de cabeça do departamento de manutenção da sua empresa.